O Evangelho de João -

12-05-2009 13:29

 

Panorama dos Evangelhos X

- O Evangelho de João -

(último de dez)
 

O Senhor foi morto e sepultado, mas foi vitorioso sobre a morte. O túmulo vazio tornou-se prova irrefutável, especialmente, para os discípulos de que o Senhor estava vivo. Quando Lázaro saiu do sepulcro ele estava ligado às vestes com que fora sepultado. Quando Jesus saiu do sepulcro seu corpo natural foi trocado para um corpo espiritual. O corpo transformado deixou seus invólucros de linho, deixando-os como uma borboleta deixa a crisálida.
 

Foram dez as aparições de Jesus, depois da sua ressurreição, com que ajudou seus discípulos a crer que ele era Deus. É notável a confissão de Tomé "uma das testemunhas da sua ressurreição, que tinha estado duvidoso: "Senhor meu e Deus meu" (20: 28). Jesus removeu cada dúvida que por ventura pudesse existir. Tiradas as dúvidas, o Senhor lhes dá esta grande comissão: "Assim como o Pai me enviou, eu também vos envio" (João 20: 21).
 

As dez testemunhas a que nos referimos são: 1) Maria Madalena; (20: 11 -18); 2) As mulheres que voltavam da sepultura (Mat. 28: 8 - 10); 3) O apóstolo Pedro (Luc. 24: 34); 4) Os discípulos do caminho de Emaús ( Luc. 24: 13 - 32); 5) Cinco discípulos, estando ausente Tomé (Jo. 20: 19 - 25); 6) Os discípulos com a presença de Tomé (Jo. 20: 26 - 31); 7) Apareceu a sete deles, junto ao Mar da Galiléia (Jo. 21); 8) Apareceu aos apóstolos e a mais de 500 irmãos (l Cor. 15: 6); 9) A Tiago irmão do Senhor, enquanto homem (l Cor. 15: 7); 10) Por último, no Monte das Oliveiras (At. 1:3- 12).
 

Além destas aparições, de modo especial, o Senhor se manifestou: 1) A Estevão (At. 7: 55-60); 2) A Saulo por 5 vezes e a João em Patmos. Apõe. 1: 10-19).
 

João era o discípulo amado que amava Jesus, o primeiro a crer na ressurreição, e nesta qualidade podemos incluir Maria Madalena.
 

"Aqui   podemos   ter a grande lei da vida". "Em qualquer espécie de trabalho não podemos realmente interpretar o pensamento de outra pessoa, a menos que entre nós e ele haja um laço de simpatia" (Wiliam Barcley).
 

O ofício de Cordeiro ele realizou na cruz. Agora, no encontro com Maria Madalena ele diz: "Não me detenhas" e afirmou: "Subo para meu Pai e vosso Pai, para meu Deus e vosso Deus" (20:17). Na qualidade de sacerdote, foi ao Pai oferecer-lhe o sacrifício de si mesmo, realizado no Calvário em favor dos pecadores. O que crê nele é justificado.
 

Jesus foi o missionário do Pai. Como iria sair do mundo, ele enviou seus discípulos ao mundo, e lhes fez uma advertência: "Recebei o Espírito", quando ele vier. Porque só depois da assunção é que o Espírito seria dado como "o outro Paracleto" (Jo.14:16). Nesta altura, "Jesus não havia sido ainda glorificado" (Jo. 20: 39).
 

É neste capítulo 21 que temos o epílogo do Evangelho de João. Nele Jesus aparece aos apóstolos no Mar da Galiléia. Jesus se deu a conhecer a eles, dando-lhes abundância de peixes onde haviam estado procurando à noite toda em vão. Assim, Jesus lhes preparou uma gostosa refeição matinal com peixe e pão. A boa pescaria foi fruto da obediência deles ao Senhor.
 

A Pedro, que negou a Cristo três vezes, Jesus deu a oportunidade de confessar três vezes, mostrando que estava disposto a servi-lo e a amá-lo como Senhor. Cristo planejou restaurar a Pedro para o pleno privilégio de servi-lo de novo. Cristo quer que aqueles que o amam também o sirvam de todo o coração. Se você o ama deve servi-lo também. Pedro confessa: "Tu.' sabes que te amo".
 

Quais são as últimas palavras de Jesus neste Evangelho? "Seque-me" (21:19). Mas ficou claro no Evangelho de João o serviço ministerial, mesmo considerando a autoridade da chamada e aprovação do Mestre, as ovelhas devem ser tratadas com todo o cuidado, porque o rebanho que adquiriu por bom preço é seu e somente seu com ênfase no emprego do pronome possessivo "meu": "meus cordeiros", "minhas ovelhas".
 

Esta é sua palavra a cada um de nós: "Segue-me". Que todos possamos segui-lo com amor obedientemente "até que ele venha".

Pr. José Alves da Silva Bittencourt